Historia da Sublimação

Historia da Sublimação

 

Historia da Sublimação

Neste artigo vamos falar um pouco sobre a Historia da Sublimação.

O processo de impressão por sublimação foi descoberto em 1957  por Noël de Plasse, que trabalhava numa empresa francesa chamada Lainière de Roubaix.

Ele descobriu que alguns corantes poderiam passar do estado líquido para o gasoso sem passar pelo estado sólido se submetidos a temperaturas próximas dos 190C. Essa passagem foi chamada de Sublimação e é a base do processo da então iniciante impressão via transferência ( transfer ) por sublimação, que também ficou conhecida como impressão a seco.

A tecnologia da impressão via sublimação ficou mais popular no final dos anos 60 e início dos anos 70. O início da era da “computação moderna”, quando as impressoras matriciais era a tecnologia predominante. Nessa época algumas fitas especiais eram “impregnadas” com algumas partículas sublimáveis para criar as termo transferências monocromáticas.

O primeiro computador “integrado” com uma impressora “sublimática” foi desenvolvido nos meados dos anos 70 por Wes Hoekstra como uma aplicação do seu trabalho de processamento de imagens no laboratótio  Jet Propulsion na Pasadena ( California, EUA ). We Hoekstra foi então considerado o “pai” da sublimação como processo de impressão digital. ( via computador ). Seu trabalho deu início ao desenvolvimento de um outro projeto chamado sublimação eletrostática no início dos anos 80.

Inicialmente a impressão eletrostática só seria viável se aplicado para produzir uma grande quantidade de impressões, devido ao seu alto custo de preparação e equipamentos. Mas mesmo assim este tipo de impressão, foi se tornando cada vez mais utilizada e com o tempo passou a ser mais acessível ( mais barata ).

Diante dessa nova forma de impressão, começaram a fazer cilindros ( cartuchos ) de toners com tintas sublimáticas dentro. E então começaram a surgir algumas impressoras a laser capazes de imprimir com tintas sublimáticas. Porém apenas com uma cor, ou poucas cores. Com o tempo foram surgindo novas impressoras lasers capazes de produzir imagens transferíveis eletrostaticamente coloridas.

Com o surgimento das impressora a jato de tinta, no início dos anos 90. As tintas sublimáticas foram reformuladas para serem utilizadas nos diversos modelos de impressoras jato de tinta de mesa. Torando possível para qualquer um, fazer a transferência das imagens via sublimação sem ter que gastar muito com equipamentos, até então, muitos caros.

Utilizando de uma impressora de mesa, relativamente barata, um computador e uma prensa térmica, qualquer indivíduo, poderia produzir transfers coloridos, de alta resolução, com um custo bem reduzido e bem facilmente.

O resultado final foi uma convergência muito rápida do processo analógico, para a tecnologia de impressão digital. E uma convergência enorme da produção em massa para a customização e personalização dos produtos. Ou seja o que antes só era possível fazer para 1.000 peças, depois da tecnologia digital, se tornou possível fazer para apenas 1 peça – totalmente personalizada e customizada. Como por exemplo, essa caneca ao lado.


Fonte: http://provideo2004.com.br/ninjadasublimacao/historia-da-sublimacao/